Portugal Notável

Valor Universal (*****) Muito Notável (***) Notável (*)

29-05-06

7conde_orgaz

Dimensões 4,80x3,60m. Óleo. Ano:1586-1588

O Enterro do Senhor de Orgaz (****) (Obra de El Greco em Toledo na Igreja de São Tomé)

Fui visitar a Capela da Senhora da Teixeira (Torre de Moncorvo), que tem como originalidade possuir um conjunto de frescos em estado deplorável de conservação do último quartel do século XVI e que recobrem quase inteiramente as suas paredes interiores; é nossa função recuperara-los com celeridade, senão correm o risco de se desfazerem.

Trabalhou aqui mais que um autor, e um deles, sem dúvida o melhor, denota influência do genial pintor El Greco, respeitando obviamente as infinitas diferenças entre eles.

Foi este que esteve em moda durante quase todo o século XX, mas nas últimas décadas o gosto dominante virou-se pelo andrógino, pelo naturalismo brutal e as sombras misteriosas de Caravagio. Também eu prefiro este, mas quando penso em Domenico Theotokopoulos e vem-me a memória a sua obra prima, O Enterro do Conde Orgaz, que recentemente visitei na Igreja de São Tomé em Toledo perante uma multidão de boquiabertos turistas, das mais diversas proveniências.

Trata-se de uma das mais belas pinturas da história da humanidade. Duma beleza imensa, o quadro representa a ascensão ao céu da alma do Conde. 

O quadro tenta oferecer uma resposta, para o desenlace da morte (um dos maiores receios e angustia da humanidade desde o Paleolítico até hoje) como esperança cordial para a vida eterna ao lado de Cristo.

As personagens agrupam-se magistralmente criando espaços a diferentes alturas, enquanto as figuras mantêm a estilização, a frieza e o misticismo característico do autor e do espírito da Contra-Reforma.

Entre o muito que há para reparar, toca-me particularmente o embrião (a alma) que o anjo na parte central liberta para a bem-aventurança.

Tenho que concluir rapidamente este post, senão recebo a crítica de me dedicar excessivamente aos locais notáveis do país vizinho; mas a minha vontade era escrever sobre Santo Ambrósio ou Santo Agostinho que amparam o Conde, a nobreza Castelhana do século XVI, o auto-retrato de El Greco... e aquele maravilhoso céu (como os cinzentos podem ser soberbos) que exala um mistério empíreo, feérica esperança renovada na eternidade, segundo a visão teológica estrita cristã tridentina.

Nota: Não perca outras informações do quadro em http://www.santotome.org/index-2.htm

Posté par Castela à 00:45 - Espanha para portugueses - Commentaires [0] - Permalien [#]

Commentaires

Poster un commentaire